segunda-feira, 30 de janeiro de 2023

Antigamente - A entrega do gás de cozinha

 


Antigamente, o gás de cozinha em Fortaleza era entregue porta a porta pela “entrega sistemática” da então Ceará Gás Butano, empresa que detinha o monopólio na venda de gás butano no estado.

A companhia distribuía às residências e comércios um calendário com as datas de entrega de cada bairro/região. O serviço não falhava, e todos podiam se programar para receber o entregador de gás. No "caminhão do gás", um sino badalado em alto e bom som anunciava sua aproximação, dando tempo para que se providenciasse o dinheiro para o pagamento.

Caso se perdesse o dia da entrega, era necessário fazer um pedido avulso, pagando uma taxa de valor razoável pelo serviço de entrega extraordinário.

Outra opção era ir até o depósito no Mercado dos Pinhões, ou no terminal da companhia no Mucuripe, para trocar o botijão vazio por um cheio. Para fazer esse manejo sem prejuízos, nem correr o risco de falta, o normal era que os usuários tivessem dois botijões.   

Como se pode ver, deixar de comprar no caminhão da “entrega sistemática” era um mau negócio.

Hoje em dia há vários distribuidores de gás de cozinha, e outros tantos revendedores, de modo que com um simples telefonema recebe-se um botijão em casa em questão de minutos, sem estresse. Pena que os botijões residenciais de treze quilos não evoluíram. São trabalhosos de trocar, sujos e apresentam vazamentos na rosca de engate com bem mais frequência que o desejável, exatamente como acontecia antigamente.

Pedro Altino Farias, em 23/06/2014

 


terça-feira, 24 de janeiro de 2023

Antigamente


Era comum casas urbanas de terreno estreito e comprido, porta e janela na fachada. O telhado de telha de barro, a cumeeira alta afastava o calor, e meias paredes dividindo seus interiores também facilitavam a circulação do ar.

O banheiro, invariavelmente lá trás, e exigia longa caminhada, daí a utilização de penicos para necessidades noturnas e urgentes.

Uma sala na frente para as visitas, outra depois dos quartos para as refeições. Mas na copa era que a vida vibrava a todo momento, do amanhecer até que todos fossem dominados pelo sono.

O melhor dessas antigas moradias era e vai e vem, o entra e sai de pessoas. Irmãos, normalmente numerosos, tios, primos, compadres, avós, empregados.

O leiteiro, o padeiro, o verdureiro, todos à porta e prontos para uma boa prosa a cada passagem. Sem pressa, nem ambição de ser mais, ou ter mais.

Cadeiras na calçada ao final da tarde, carroças preguiçosas e automóveis idem trafegavam na rua calma, notícias de alguém distante contada de boca em boca, e aquela moça mal falada desfilando provocativamente. “Cadê o padre que não vê isso, meu Deus?”, exclamavam horrorizadas as “mulheres direitas”. Será que não via mesmo?

Bem, melhor ir parando por aqui, senão pode ser que algum leitor fique com vontade de viajar para antigamente... E não queira mais voltar.

Pedro Altino Farias, em 14?07/2014




sábado, 31 de dezembro de 2022

Nossos Conselhos para 2023

Chegou a hora da saideira de 2022! Enquanto bebe, faça uma reflexão sobre o ano que finda. No início de 2023, tomar uma decisão sobre como serão seus próximos 365 dias é necessário. Mas, seguida à ela, uma providência energética é presença para o sucesso.

                   

Se ainda não tem um bem me quer, percorra 1000 montes para achá-lo. Se já tem, percorra outros 1000 para mantê-lo, por bem quereres são joias raras, e seguraram muito cuidado e carinho.

Encontre um tempo para apreciar não só a lua cheia , a meia lua também merece toda a nossa atenção, e sua porção escura pode guardar deliciosos mistérios.

Por fim, desejo que essa próxima temporada seja magnífica para você e sua família, com muita saúde, paz e proteção... E não esqueça de dar uma atenção especial à primavera , que vem todo ano nos visitar lá pelo final de setembro, com uma mensagem de renovação da vida, das cores, das flores e dos amores.

Feliz 2023 para você e todos nós!

Altino & Gorette  

quinta-feira, 24 de novembro de 2022

LEMBRANÇAS DA COPA DE 70 - PRA FRENTE, BRASIL!



Ah, 1970! Primeira copa a ser transmitida ao vivo, com direito a replay dos gols e jogadas fantásticas ou duvidosas. A seleção Canarinha era perfeita! Ainda não havia chegado por aqui a internacionalização do futebol, então, nosso estilo era único, e nossos craques tinham sua vida no Brasil, jogavam em times brasileiros, e seus projetos de futuro eram em solo pátrio. Eles jogavam com amor e garra, sem patrocínios milionários, nem exposição exacerbada nas mídias da época, sem chuteiras coloridas. O time era um só, um conjunto de peças que se moviam com precisão para chegar ao resultado pretendido: a vitória!

A sede da copa foi o México, latino e efervescente como nós, e o mascote era Juanito, um simpático garotinho amante de futebol, como tantos Joãozinhos que havia naquela época por esse imenso Brasil nos campos de subúrbio e interior do país.


Quando o Brasil conquistou sua vitória final sobre a Itália, o país explodiu em festa. Uma festa ingênua, de brasileiros, cujo único objetivo era comemorar sermos os melhores do mundo pela terceira vez.

Noventa milhões em ação
Pra frente Brasil, no meu coração
Todos juntos, vamos pra frente Brasil
Salve a seleção!!!
De repente é aquela corrente pra frente,
Parece que todo o Brasil deu a mão!
Todos ligados na mesma emoção,
Tudo é um só coração!

Entusiasmado, papai colocou todo mundo dentro da Rural e fomos dar uma volta na Beira Mar. Em cada janela do carro havia uma bandeirinha verde e amarelo. Todas feitas em casa pela dona Concita, minha mãezinha (hoje com 92 anos), em sua máquina de costura Vigorelli. Nessa época a Beirar era mão dupla, e estava lotada, totalmente engarrafada, numa grande festa verde e amarelo. Bons tempos, boas lembranças.

De 1970 a 2022 passaram-se cinquenta e dois longos anos. Eu, de nove a sessenta e um! O coração ainda está bom, apesar das tantas emoções vividas no decorrer desse tempo, incluindo o 7 x 0.  Daqui a pouco mais de duas horas o Brasil vai fazer sua estreia na Copa 2022, sediada no Catar. Claro, vamos torcer mais uma vez pela Canarina, afinal, somos brasileiros, e não desistimos nunca! Os tempos são outros, eu sei. Um poeta já disse que “tudo muda o tempo todo no mundo”, então, resta-nos acompanhar essas mudanças para não ficarmos presos no tempo passado.  Mas não pensem que é fácil assistir e se entusiasmar com esse espetáculo midiático multimilionário que se tornou a Copa do Mundo. Quem viu 1970 que o diga.

Altino Frias, em 24/11/2022


 

terça-feira, 27 de setembro de 2022

Toda Nua


No lado escuro da Lua,
Vi uma mulher toda nua,
Nua por dentro, nua por fora,
Ela me sorriu em inesperada hora.

Ai veio o Chico Litro, sorrateiro,
E acordou-me, invadindo meu terreiro.
A mulher prontamente se vestiu,
E no meu sonho, parece que nunca existiu.

Esculhambei Chico Litro pela sacanagem,
Mas o coitado nada entendeu dessa bobagem.
Enfim, pedi minha conta e pendurei,
No Bar do Toim, onde Chico Litro é rei!

Pedro Altino Farias, em 13/09/2022