quarta-feira, 27 de março de 2024

Desencontro Marcado

(FOTO ANDRÉ BEZERRA)

Mais uma vez te esperei, mais uma vez tu não vieste conforme o combinado. Passei vinte e oito dias rodando o mundo te esperando e o que tenho além da tua ausência? Nada! Nem um carinho. Nem uma satisfação sequer.  És cruel comigo. Já não conto os meses a te esperar.

Se pensas que sou de todos, universal, engana-te. Sou de poucos, sou especial. Sou de quem sonha, de quem delira, de quem ama. Vivo da luz dos outros, dos enigmas das madrugadas, do encanto dos enamorados, dos sonhos alheios, da poesia. Tens tudo isso e muito mais na tua alma, por isso me és importante.

Sei que também esperas por mim, e que queres me ver surgir no horizonte linda e maravilhosa, toda nua para ti, ou então envolta em nuvens e mistérios. Vives aí, nessa vida mundana, correndo para lá e para cá para sobreviver, sem poder sequer bem respirar, e mesmo assim encontras tempo para pensar em mim e me contemplar. Saiba que te vejo muito bem daqui e que dependo dessa tua paixão para brilhar. Preciso muito de ti, me importo contigo e sinto tua falta.

Bem, nosso encontro já se foi. Volto pontualmente em vinte e oito dias. Estejas pronto para mim, mas, se mais uma vez não puderes comparecer, mais uma vez entenderei, e te banharei com os raios de luz mais puros que tiver para te dar força e acalmar teu coração. Vou te esperar porque sei que me admira e me adora e, quando passar essa tua agonia, haveremos de nos encontrar e serei toda tua outra vez.

Ass. Lua Cheia, em 25/03/2024

sexta-feira, 15 de março de 2024

A Força do Xinin - baseado em fatos reais


Jovem divorciada na faixa dos trinta, mantinha um relacionamento amoroso com um sujeito casado. Viam-se com certa regularidade, porém, como ela morava longe, toda vez que se encontravam ele a deixava num terminal de ônibus para ela ir para casa. A ideia era aproveitar ao máximo o tempo que tinham juntos, ou, pelo menos, era isso que o artista alegava. Ocorre que, numa dessas, a amante passou um aperto, pois deu-lhe vontade de verter as cervejas que bebera durante o percurso do coletivo e a coitada quase molha as calças.

Ela comentou o sufoco que passara com uma amiga íntima, e esta lhe aconselhou a exigir que o amante a deixasse o mais próximo possível de sua casa. Ela rebateu, argumentando que morava longe, e que ele perderia muito tempo no trajeto e tal, mas a amiga foi taxativa, disse-lhe que acreditasse na “FORÇA DO XININ” e exigisse que ele a levasse no conforto e segurança até sua casa e ponto.

Se pensarmos bem, baseado na história, lendas e fatos contemporâneos, seremos forçados a concordar com a amiga da amante e reconhecer a “FORÇA DO XININ”, senão vejamos...

Helena de Tróia, disputada por Pária e Menelau foi motivo de uma sangrenta guerra. Cleópatra, do Egito antigo, foi amante dos generais romanos César e Marco Antônio, influenciando o rumo da história. Dizem que Yoko Ono, com seu romance com Jonh Lennon, foi o pivô da separação dos Beatles. Na imponente Casa Branca, o poderoso Jonh Kennedy cedeu aos encantos de Marilyn Monroe e anos depois seu colega, Bill Clinton, se curvou aos encantos orais da estagiária Monica Lewinsky. Há uma versão de que os ciúmes que Tereza causou em Pedro implodiu a república de Alagoas, e o que seria de Lampião sem Maria Bonita? Vixe, esse xinin é poderoso mesmo!

Agora, voltando ao casal de pombinhos apaixonados, quando combinavam o próximo encontro, ela comentou o sufoco que passara, e disse que só poderiam se ver se depois ele a levasse até a esquina de sua casa. A resposta foi negativa com aquele blá, blá, blá que conhecemos bem, e ela respondeu que dessa forma não daria mais certo. Apaixonada, ficou angustiada em não poder encontrar seu amor e curtir aqueles bons momentos, mas tinha de ser assim, era para o bem dela. Então, depois de não mais que vinte minutos de silêncio, seu celular tocou. Era ele perguntando: “Onde é que você mora mesmo, heim?”.

É amigos, como podem ver todo cuidado com a “FORÇA DO XININ” é pouco, porque o bicho é bom e a carne é fraca! Hehehehe...

Altino Farias, em 15/03/2024


 

sexta-feira, 8 de março de 2024

Dia Internacional da Mulher 2024 - O "X" da Questão

 


No começo, o “X” sempre é a incógnita da equação. E se forem duplos... Ah, meu Deus! Sim, é verdade, em certas ocasiões temos, também, um “Y”, mas este nunca é duplo e não passa de um coadjuvante, a questão central é o “X” e ponto!

Assim, bons matemáticos têm nele um amigo e companheiro presente no seu cotidiano, mas os que desprezam a ciência dos números temem, e tremem, ao se depararem com dois deles, pois, com suas limitações, podem não chegar a uma resolução da incógnita. Por isso, sem querer, o “X” pode causar grandes turbilhões para uns tantos “Y”, ilusões para outros e ser a razão de viver uma vida toda para muitos.

Vale lembrar que todo “Y” tem um quê de “X” em sua alma. Na verdade, eles são metade problema e, imaginam, metade solução. Os mais sábios, porém, tratam os “X” com um misto equilibrado de emoção e exatidão, conseguindo se aproximar natural e perigosamente deles simplesmente com o coração.

Quando a equação chega ao final, eis que se revela a verdade: o valor de “X”! Por absurdo que seja, ele não se mostra um valor numérico, absoluto. É medido em sentimentos, tão nobres quanto intensos e, multiplicado por dois, percebe-se claramente toda a beleza, pureza e força da criação divina, pois estaremos diante de uma MULHER!

Altino Farias, em 08/03/2024