terça-feira, 4 de outubro de 2011

"Isso" e "Aquilo"


Sob telhas de alumínio vejo o tempo passar, o dia correr. Um após outro. Os ruídos e os odores deste ambiente me remetem à querida Barra Nova, praia singela e de uma beleza virginal. Esta referência à praia não se dá pela semelhança entre os dois lugares, mas exatamente pelo seu oposto. Às vezes me pergunto por que tudo “isso”, quando o que desejo na verdade é “aquilo”. Responsabilidades, eis a resposta.


Mesmo com tudo, hoje sou cem vezes mais irresponsável (ou menos responsável) que a vinte, trinta anos. Quando se chega aos cinqüenta, as coisas vão mudando de feição. O obrigatório torna-se opcional; o chato, nem tanto; o tempo, curto para certas coisas e longo em demasia para outras; o reprovável... Censurar pra que? Não há espaço para minúcias.


Vivo nessa luta do tempo contra o censo. Um dia... Quem sabe... Pego meu violão e saio por aí, bar em bar, de uma praia a outra, sumindo com o sol para ficar com a lua...




Altino Farias









2 comentários:

  1. Pedro, muita poesia em,"sumindo com o sol para ficar com a lua..." Desejo momentos poéticos para você.
    Concita

    ResponderExcluir
  2. Maturidade e experiência, por intermédio do isso, podemos chegar ao aquilo, ou melhor, uma hora o sol se põe e dá lugar ao luar.

    ResponderExcluir